domingo, 18 de janeiro de 2015

FotoPost - Nassau

Feliz 2015! 
Andei meio (um bocado) ausente, mas cá estamos para falar um pouquinho e mostrar um montão da parada que achei mais linda do cruzeiro, apesar de não ter conhecido tanto quanto gostaria. No penúltimo dia de cruzeiro paramos cedinho em Nassau, capital e maior cidade da Bahamas, que tem mais de 3 mil ilhas. 
A primeira vista, abrindo a cortina da minha varanda o que vejo:


Esse mar inacreditável de lindo! Não acreditei quando vi, fiquei sem fôlego, sem palavras, totalmente emocionada e grata de estar vendo algo assim tão lindo. O navio se aproximava do porto e eu não conseguia parar de tirar fotos, alternava cliques com suspiros. 




Nosso grupo tinha um tour somente na hora do almoço, então juntei minhas coisas, e bora bater perna em Nassau. Das cidades que paramos essa tem o centro mais cheio de lojas, cafés e restaurantes de redes americanas, como Burger King, Hard Rock Cafe, etc. Passei pelo centro e fui em busca de uma praia para pisar na areia e ficar mais pertinho daquele mar que me encantou. 
Andei cerca de uns 15 minutos até encontrar a Junkanoo Beach, que não é uma praia de banho muito turística, mas era a mais perto do porto para ir a pé. Mas para mim estava ótimo, tinha uns banquinhos, areia branca e mar azul.









Fico triste de lembrar que fiquei apenas algumas horinhas em Nassau. Quero muito voltar as Bahamas, com cruzeiro ou não, e conhecer mais das ilhas. Se estiver com viagem marcada para lá recomendo conhecer o Resort Atlantis, um complexo enorme com parque aquático, nado com golfinhos, restaurantes etc. Vale sem dúvida a visita, mesmo que você vá de cruzeiro, Os próprios navios vendem passeios para o resort. 




Saudades

As vezes acho que minha vida é tomada por saudades. 
Nos momentos que não tenho coisas melhor para pensar o pensamento vai direto para a nostalgia.

Saudades de pessoas, de lugares, de momentos,  de personagens, de cheiros...
De quem ou do quê você sente mais falta?

Sinto saudades de Nova York
de Paris, de Nice, 
da Italia,
de ir para a Praia Grande com a família de férias,
de lugares que nem conheci ainda. 
Sinto saudades de livros que já li, de personagens que me apeguei, de finais que não gostei e re-escrevi mentalmente. 
Sinto saudade da espera por um livro novo do Harry Potter. 

Sinto saudade do ensino médio, das risadas, de como as preocupações eram menores nessa época,
saudades do ensino fundamental, dos passeios da escola, dos 5 minutos que faltavam para o recreio, das aulas de arte, informática, inglês e espanhol. 
Saudades dos treinos de handebol. De jogar queimada na aula de educação física. Saudades de pensar que eu não era a melhor da turma, mas pelo menos não era a última a ser escolhida. 


Sinto saudades de ter um cachorro, que nunca tive. Saudades de ter um peixe, esse eu tive. Saudades dos pássaros do meu avô. 
Saudades do meu avô.
Saudades do meu padrinho.
Saudades da minha bisa. 
Saudades até da avó que não conheci. 



Saudades de sonhos que achei que seriam os sonhos da minha vida. 
Saudades de memórias que ainda nem tive. 

Saudades de coisas que ainda vou viver para ter saudades. 

Sentimento complicado esse, a saudade. É bom, é ruim, nostálgico.


Saudades de quando eu pensava menos sobre saudade.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Terra á vista: St Maarten

O roteiro do meu cruzeiro durava 8 dias, saímos de Miami, navegamos direto por 3 dias e então chegamos na ilha de St Maarten, que antigamente era metade Antilhas Holandesas e metade Antilhas Francesas, a ilha pertencia a ambos países. 
Muita gente me pergunta se o navio balança ou se enjoa… Isso é muito relativo, hoje em dia os navios são maiores, com estabilizadores mais modernos e a sensação de balanço é bem pouca, quase nula. Mas sim, balança um pouquinho, mas nada a ponto de se ficar enjoado. Mas novamente isso é muito pessoal, conheço pessoas que não gostam de cruzeiro, tem medo e dizem que jamais o farão, da mesma forma que muita gente adora viajar de trem e eu detestei. Gosto é gosto, e em viagens isso muda muito de pessoa para pessoa.
Mas vamos ao que interessa, após 3 dias direto vendo apenas o mar, quando acordei e vi St Maarten chegando lá ao longe, me bateu uma sensação de "Terra á vista!!!", e logo fiquei mais empolgada em conhecer a ilha. 








Logo cedinho o dia não estava muito aberto mas mesmo com o céu mais fechado fiquei maravilhada com a cor do mar, aliás, as cores. Pois são diversos tons mesclando entre verde e azul, é lindíssimo. Não via um mar lindo assim desde Nice. Descemos do navio e fomos para o nosso city tour oferecido pelo governo de St Maarten, nosso guia era muito simpático e muito conhecedor da ilha, contava vários fatos e histórias. A que mais gostei conta que quando a França e Holanda cansaram de brigar pela ilha e resolveram dividi-la, colocaram um francês e um holandês de costas um para o outro e saíram andando para lados contrários, assim cada pedaço que andarem seria francês e holandês respectivamente. Mas o holandês era mais chegado no rum, e ficou ah digamos, alegrinho e descansou após a bebedeira, assim o francês caminhou muito mais e o lado francês é maior, mas ambos são muito bonitos. Nas palavras do nosso guia: ir a St Maarten e não conhecer ambos os lados é uma viagem incompleta. 
Visitamos Orient Bay, Marigot e Maho Beach, todas incríveis. Vejam só:
















Sim, são muitas fotos, eu sei. Mas não tinha como postar poucas com essas paisagens tão bonitas, são praias de areia branquinha e água transparente, tem como ser melhor?!
Recomendo com certeza a parada nessa ilha, se o seu cruzeiro passar por lá prepare a sua câmera e aproveite o passeio. Achei realmente belíssima St Maarten. 
Todos os navios vendem passeios próprios pela ilha (que eu acho mais confiáveis) que podem ser city tours que passam por vários pontos, ou que vão para uma praia específica, como escolher depende do que você curte fazer mais, conhecer tudo, ou ficar de bobeira descansando na praia. E na saída do porto, muitas empresas também oferecem seus passeios, não sei avaliar se são bons ou não, mas aconselho sempre atenção e cuidado para não cair em furadas. 

No próximo post mais um pouco das paradas Nassau e St Thomas, e mais muitas fotos rs.



Fotos: arq. pessoal

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Bem vindos á bordo!

Voltamos pessoal!
Acabo de voltar de viagem, estava fazendo um cruzeiro pelo Caribe (visitando 3 ilhas) no novíssimo navio Norwegian Getaway, da Norwegian Cruise Line, ou NCL para facilitar. Fui á trabalho acompanhando um grupo de agentes de viagens, mas consegui aproveitar muito também!
Considero cruzeiros uma forma incrível de se viajar, uma amiga de trabalho dizia que os navios hoje em dia são "resorts flutuantes" e eu acho que realmente é a forma de melhor descreve-los, não apenas o Getaway, mas todos os mega navios que temos como opção por quase todos os cantos do mundo.


No navio temos opções de lazer (para todas as idades) e gastronomia similares ou melhores que muitos resorts considerados 5 estrelas, á bordo aproveitei shows de dança, musical da Broadway, filmes, piscinas, toboáguas, arborismo, tirolesa e  muitos restaurantes maravilhosos, e quando não estava com pique para fazer nada ficava na minha varanda lendo, ouvindo e admirando o oceano. Não tem vida melhor! É o melhor jeito de se conhecer vários locais diferentes, permanecer numa hospedagem de nível ótimo e ainda sim não gastar uma fortuna, o custo benefício dos cruzeiros hoje em dia é ótimo.
Seguem mais fotos que explicam melhor tudo que estou contando:
















Tudo isso acima e muito mais encontramos num só navio, ou seja, tem coisa para fazer todos os dias, muita gente comentou que 8 dias era pouco tempo para aproveitar tudo, comer em todos os restaurantes etc. Acima temos a área das piscinas e toboáguas, o restaurantes italiano La Cucina, o pub O`Sheehans que servia lanches ótimos, o restaurante oriental Teppaniaki, algumas das milhares de espreguiçadeiras, a área das crianças na piscina, vistas de pôr do Sol e nascer do Sol da varanda da minha cabine, foto com os personagens da Nickelodeon que ficam á bordo, a doceria Carlos Bakery (sim aquela do Cake Boss) e a parte mais radical do navio: arborismo, muito alto e termina com uma tirolesa. Esse é para os fortes rsrs. Eu fui, mas tremendo o percurso todo, admito.


E um plus dos cruzeiros são as paradas que eles tem, no meu caso paramos em St Maarten, St Thomas e Nassau, mas vou mostra-las melhor nos próximos posts. 

Até lá!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...